Saber e poder escolher!

Azeite: saber e poder escolher!

Saiba que…

As variedades de azeitona mais comuns são a Galega, Picual, Cobrançosa e Lentrisca,.

Para extrair 1 litro de Azeite são necessários, em média, 5 a 6 Kg de azeitonas.

Todas as azeitonas são negras se as deixarem amadurecer até ao fim.

Análise Organoléptica é a  Análise efetuada para caracterizar o aroma e sabor de um azeite. É obrigatória por lei.

O Teor em Ceras é o parâmetro analisado para verificar a genuinidade de um azeite

O grau de acidez pouco ou nada tem a ver com o cheiro e o sabor do Azeite. A acidez tem a ver com a quantidade de ácidos gordos livres que o Azeite possui e também com a variedade e o estado de maturação da azeitona quando é colhida.

A cor do Azeite não está diretamente ligada ao seu sabor ou aroma. Um Azeite verde provém de azeitonas ainda verdes enquanto um Azeite dourado provém de azeitonas maduras. Mas o Azeite é geralmente obtido a partir de uma mistura de variedades de azeitonas, com diferentes graus de maturação.

Como produto natural que é o Azeite, ao contrário do vinho, não melhora com o tempo, pelo que é aconselhável consumi-lo o mais cedo possível. Quando bem acondicionado, pode conservar-se, sem alteração das suas caraterísticas, ao longo de 18 meses a partir da extração.

O rendimento do Azeite é maior do que o de outras gorduras vegetais, tanto em frio como em quente.

O azeite pode solidificar quando sujeito a temperaturas muito baixas; Contudo, ele retomará o seu aspeto inicial quando volta à temperatura ambiente, não perdendo nenhuma das suas caraterísticas.

O Azeite deve guardar-se em recipientes de vidro, de preferência escuro, ou em recipientes de folha de flandres ou de aço inox. Deve manter-se em local fresco, sem luz e longe de produtos com cheiros intensos para evitar que os absorva.

Nos seus bolos pode usar azeite em vez de margarina usando a seguinte tabela de conversão:

1 colher de chá de margarina equivale a ¾ colher de chá de azeite

1 colher de sopa de margarina equivale a 2 1/4 colher de chá de azeite

1 chávena de margarina equivale a 3/4 colheres de sopa de azeite

Tipos azeite 

Azeite Virgem Extra:

Azeite de qualidade superior, com sabor e cheiro intensos a azeitona sã. Não apresenta nenhum defeito organoléptico. Acidez igual ou inferior a 0,8%. Apto para o consumo direto e ideal para temperar a cru. Os azeites virgem extra de sabor mais suave são ideais para o tempero de saladas e alimentos com sabor mais suave, bem como para a doçaria. Por outro lado, os azeites virgem extra de sabor mais intenso vão melhor com alimentos de sabor mais marcado e poderão ser utilizados para a confeção de alguns molhos.

Azeite Virgem:

Azeite de boa qualidade, com sabor e cheiro a azeitona sã. Acidez igual ou inferior a 2%. Apto para consumo direto e apropriado para assados, sopas, refogados ou marinadas.

Azeite – contém azeite refinado e azeite virgem: trata-se de azeite refinado, enriquecido com azeite virgem, aromático e frutado, com grau de acidez igual ou inferior a 1,0%. É ideal para frituras dada a sua elevada resistência às altas temperaturas. É mais barato, mantém o valor nutritivo do azeite e tem um ponto de fumo bastante elevado o que permite aumentar o seu número de utilizações. Além disso, forma uma crosta na superfície dos alimentos, que impede a penetração do Azeite no interior dos mesmos. Com a utilização do Azeite para a fritura obtêm-se fritos mais secos e apetecíveis.

Dentro dos Azeites que se encontram no mercado podem, ainda, encontrar-se os “Azeites com Denominação de Origem Protegida” (DOP), os “Azeites da Agricultura Biológica” e os “Azeites Elementares ou Monovarietais”.

Os “Azeites DOP” têm origem numa área geográfica delimitada, com solos e clima caraterísticos e são exclusivamente elaborados com azeitonas de certas variedades de oliveiras. Estes fatores, aliados ao saber fazer tradicional da região, que se consubstancia no modo de condução das árvores, apanha da azeitona e extração do Azeite, conferem-lhes tipicidade e características qualitativas que os permitem distinguir dos demais.

Denominações de origem protegida

Portugal possui, atualmente, seis denominações de origem protegida para Azeites:
“Azeites de Moura”, “Azeites de Trás-os-Montes”, “Azeites da Beira Interior (Azeites da Beira Baixa e da Beira Alta)”,“Azeites do Norte Alentejano”, “Azeites do Ribatejo” e “Azeites do Alentejo Interior”.

Os “Azeites da Agricultura Biológica” são provenientes de olivais conduzidos de acordo com o modo de produção biológico, tal como previsto pela Regulamentação Europeia. Este modo de produção obriga a diversos condicionalismos importantes, designadamente à manutenção do fundo de fertilização dos solos, à utilização de rotações adequadas e ao respeito por normas fitossanitárias e de fertilização muito estreitas, sendo praticamente interdita a utilização de produtos químicos de síntese.

Os “Azeites Elementares ou Monovarietais” são obtidos de uma só variedade de azeitona.

A melhor cozinheira é a azeiteira” É um ditado popular que diz: “A melhor cozinheira é a azeiteira” e os livros de receitas tradicionais portugueses comprovam-no: o azeite surge em quase todas.

Outras curiosidades

O ramo de oliveira simboliza a luz (as candeias funcionavam com azeite) e a paz – a pomba da paz leva um ramo de oliveira no bico.

Niel Amstrong deixou na lua um raminho de oliveira em ouro como símbolo da paz.

No Almourol Restaurante, também usamos, maioritariamente, o azeite nos fritos – quer sejam as enguias fritas ou a fritada de peixes.

Por vezes conversamos e partilhamos conversas sobre o azeite:

https://www.facebook.com/watch/live/?v=222991302296366&ref=watch_permalink

Pela sua saúde – Consuma azeite / Bom azeite

 

 

(Fonte principal: Casa do Azeite)

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.