Arripiado: conheça a aldeia que cai para o rio Tejo

Pequena em tamanho, mas grande em beleza, assim é a pitoresca aldeia do Arripiado, um emaranhado de ruas estreitas e casario branco, construída num declive que desce até à margem do Tejo. Visite o castelo de Almourol e prove o peixe do rio.

Pequena em tamanho, mas grande em beleza, assim é a pitoresca aldeia do Arripiado, um emaranhado de ruas estreitas e casario branco, construída num declive que desce até à margem do rio Tejo. A aldeia integra a freguesia da Carregueira, no concelho da Chamusca. É neste ponto, com vista panorâmica para o castelo de Almourol, que tem início a extensa Lezíria ribatejana, a perder de vista a partir daqui.

A partir do Passeio Ribeirinho e do Espaço Verde Ribeirinho siga até ao Dique Pequeno, local dotado de pesqueiros, parque de merendas e auditório ao ar livre junto ao rio. Brindada pelo Tejo, é também afamada por diversos pratos de peixe do rio, especialmente a fataça, que se come em caldeirada ou frita. Prove ainda o sável, igualmente frito ou na sopa. A ligação histórica e umbilical ao Tejo pode é também visível nas esculturas de José Coelho: “A Barca”, uma evocação ao Arripiado aldeia do Tejo; e os “Peixes”, homenagem a todos os pescadores da aldeia, localizadas na Praça da Barca. O povoado desce a encosta desde a EN 118. Por tal, ao percorrer as ruas estreitas, as praças e as escadinhas que conduzem ao rio encontra-se outro postal do Arripiado, as flores que fazem parte da tradição e orgulho das gentes da terra. Como curiosidade, refira-se que a igreja de São Marcos, edificada nos anos 60 do século XX, ostenta a fachada que pertenceu à demolida igreja de Santa Apolónia, em Lisboa. Foi para aqui transportada por comboio e barco.

 

Escadinhas e flores no Arripiado

Escadinhas e flores no Arripiado

À beira-rio estão localizados separadamente, dois cais fluviais, destacando-se o de São Marcos, a partir do qual existe ainda uma Barca de Passagem, ligando o Arripiado à aldeia de Tancos, já na outra margem, onde merece paragem o restaurante Almourol (Tel. 249720 100).

Numa visita à aldeia do Arripiado é ainda indispensável conhecer o Miradouro do Almourol, local perfeito para avistar a paisagem, o castelo de Almourol e apreciar a impressionante escultura de seis metros de altura que guarda o local. É “O Guerreiro Templário”, da autoria de João Cutileiro.

Castelo de Almourol

Castelo de Almourol

Almourol: no meio do Tejo, um castelo cheio de histórias

Cenário de inigualável beleza, Monumento Nacional desde 1910, o Castelo de Almourol ergue-se no meio do rio Tejo, numa pequena ilha escarpada granítica, perto da localidade de Tancos, no concelho de Vila Nova da Barquinha. Edificado no século XII, é um dos monumentos militares medievais mais emblemáticos da Reconquista Cristã, e um dos que melhor evoca a memória dos Templários. Bastante danificado pelo sismo de 1755, só no século XIX seria reconstruído. Mais tarde, já no século XX, tornou-se residência oficial da República Portuguesa, acolhendo importantes eventos do Estado Novo. Além do lugar que ocupa na história militar do país, o castelo guarda várias lendas. A seca que tem marcado os últimos meses transformou a ilha em península. Com bancos de areia em redor, o acesso ao castelo de Almourol passou a ser temporariamente possível através de um caminho de pedras na margem virada para o lado da Praia do Ribatejo. De qualquer forma, há barcos que fazem a ligação a partir do cais de Tancos e a ilha. Desde o início deste ano que o local é também o principal ponto de atração do novo Trilho Panorâmico do Tejo. Para caminhar ou pedalar, tem uma extensão de cerca de 10,5 km à beira rio, num percurso linear entre a foz do rio Zêzere e Vila Nova da Barquinha.

Herdade dos Cordeiros, na Chamusca

Herdade dos Cordeiros, na Chamusca

leandro grumete

Herdade dos Cordeiros

Localizado num vale, com campo a perder de vista, este alojamento em espaço rural abriu portas no verão passado, para proporcionar momentos de puro relaxamento. Nos 260 hectares, tem como núcleo um edifício principal, de piso térreo, que deu origem a três casas T1 e um T2 (tarifas desde €90). Ao lado, uma outra, isolada, dispõe de três quartos e sala. Todas estão devidamente equipadas e têm acesso direto à piscina infinita exterior aquecida. Um salão de festas e uma pequena capela complementam a oferta. Aproveite o tempo para fazer passeios de moto4, charrete ou a cavalo. O pequeno-almoço na Herdade dos Cordeiros (EM 1383, Casal de Vale Carros, Vale de Cavalos, Chamusca. Tel. 919387179) é entregue em cestas em cada quarto.

Este texto foi adaptado do Guia Portugal Secreto – Lisboa e Ribatejo, com produção Boa Cama Boa Mesa, oferecido com o Expresso na edição de 24 de junho 2022.

Outros artigos:

Partilhe este artigo:

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.